Domingo, 25 de Maio de 2008

A Tecnoteca por imagens, com custos

Estão finalmente prontas as imagens ilustrativas da Tecnoteca incorporada no edificío da antiga Real Vinícola.

 

Actual Edifício da Real Vinícola

 

 

 

 

Edifício incorporado com a tecnoteca

 

 

 

  • Com novo acesso

 

 

 

Preco de Reconstrução da fachada interessada:  2,496,250,00€

 

Interior da Tecnoteca

 

Área Recepção

 

Preço estimado: 2,847,00€

 

 

Área Utilização

 

 

 

 

Preco estimado:  5,498,00€

 

 

Área Divertimento (LAN Gaming)

 

 

 

Preco estimado: 31,980,00€

 

Área Formação

 

 

 

Preco estimado: 42,705,00€ 

 

Área Conhecimento

 

 

 

Preco estimado: 5,460,00€

 

 

Preco total estimado: 2,584,740,00€

 

Estas imagens servem apenas como uma visão hipotética dos componentes da Tecnoteca não contendo assim os reais e totais elementos.

Estes precos estimados referem-se apenas à reconstrução do edificío e aos componentes tecnológicos primários necessários para o funcionamento da Tecnoteca.

publicado por sprvmatosinhos às 01:24
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 20 de Maio de 2008

Conclusões dos inquéritos feitos à população Matosinhense

Através dos inquéritos realizados podemos concluir que:

 
  • A maioria das pessoas pensa que um centro tecnológico é um local onde existem alguns computadores com alguns computadores e acesso à internet.
 
  • A maioria dos indivíduos do sexo masculino, ao contrario do sexo feminino sabe o que é um centro tecnológico, mostrando desta maneira estarem mais ligados aos conhecimentos tecnológicos que o sexo feminino, mas mesmo apesar deste facto é maioritariamente o sexo feminino que mostra interesse em visitar um centro tecnológico se este existisse em Matosinhos.
 
  • A maioria dos matosinhenses pensa que Matosinhos é uma cidade tecnológica, mostrando desta forma contentamento com a situação tecnológica actual da cidade.
publicado por sprvmatosinhos às 21:01
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 28 de Abril de 2008

Gráficos dos inquéritos realizados

tags:
publicado por sprvmatosinhos às 23:01
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 18 de Abril de 2008

História da “Real Companhia Vinícola”

          
            
A Real Companhia Vinícola foi o primeiro edifício industrial implantado na sua área de localização. Construída entre 1897 e 1901, apresenta um processo construtivo bastante diferenciado das contíguas construções industriais posteriores, caracterizadas pela utilização do betão e asnas metálicas. Construídos em alvenaria de pedra, com cobertura de telha, assente em asnas de madeira e pilares de ferro forjado no corpo principal, os edifícios da Real Companhia Vinícola dispõem-se no perímetro do quarteirão, deixando no interior um enorme pátio, onde a linha férrea tinha o seu terminus e onde se dispúnhamos dois armazéns/ depósitos ainda existentes. Trata-se, afinal, de um enorme complexo industrial, com cerca de 11 mil metros quadrados de área. Revelando soluções fortemente inspiradas nos modelos ingleses das primeiras explorações agrícolas industrializadas, com um acentuado contraste entre o exterior e o interior. Estas instalações, contudo, não eram fábricas no sentido restrito do termo. De facto, funcionavam mais como armazéns onde se procedia à análise química laboratorial à rotulagem, embalagem e expedição de um produto natural que, afinal, não era ali totalmente transformado. Importa, no entanto salientar que o edifício possui uma das primeiras estruturas fabris a vapor da região. Extinta a sociedade “Meneres & Cª”, em 1905, as suas marcas de vinho do Porto, continuaram a ser comercializados pela “Companhia Vinícola Portugueza” que possuía sede no Porto. Não há noticias de que o edifício original tenha sofrido grandes alterações, registando-se apenas uma ligeira alteração ainda em 1903, através da qual é implantado um pequeno torreão num dos extremos da fachada voltada para a Avenida Meneres, e obras de decoração na fachada em 1929.

            Não obstante o seu encerramento, nos anos 30, a Real Vinícola continuou a manter, embora de uma forma indirecta, uma ligação estreita à história da evolução da cidade. É que a construção das docas do porto de Leixões, implicando o desaparecimento de todas as edificações junto às margens do Leça em Matosinhos e Leça da Palmeira, fez com que um grande numero da população ribeirinha até então aí residente se visse privada das suas habitações. Neste contexto a Real Vinícola funcionou, durante vários anos, como refugio/ albergue desses desalojados. Curiosamente, várias décadas depois, na sequência da descolonização, voltaria a desempenhar as mesmas funções em relação a retornados das ex-colónias portuguesas em África.
            Hoje, o edifício ou, mais precisamente o conjunto de edifícios da Real Companhia Vinícola apresenta-se abandonado e desocupado, em acelerado processo de degradação.

            A sua importância histórica, cultural e patrimonial, no contexto da região, a sua imponência e presença na envolvente, o seu desenho e escala, são motivos só por si suficientes para a necessidade de salvaguardar, classificar e reabilitar este imóvel.

 

 

 

Adaptado

Matosinhos - Revista Trimestral Municipal, nº 22, Agosto de 1999 

publicado por sprvmatosinhos às 17:32
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 2 de Abril de 2008

Classificações do 2º período

As classificações dos membros do nosso grupo foram as seguintes:

 

Sílvia: 15 valores

Patrícia: 15 valores

Ricardo: 15 valores

Vânia: 14 valores

publicado por sprvmatosinhos às 18:00
link do post | comentar | favorito

Reunião com a arquitecta Renata Silva

        Na passada quarta-feira dia 12 de Março de 2008, o grupo dirigiu-se à Câmara Municipal de Matosinhos, ao Departamento de Urbanismo para uma reunião com a Arquitecta Renata Silva.

           A arquitecta forneceu-nos plantas do edifício da Real Vinícola e prometeu apoiar-nos na elaboração do orçamento da reconstrução e requalificação do edifício e ainda na divisão das secções da Tecnoteca na planta.

           Desde já agradecemos toda a ajuda e “paciência” do Departamento de Urbanismo da C.M.M., especialmente da arquitecta Renata Silva.

 

publicado por sprvmatosinhos às 17:48
link do post | comentar | favorito
Domingo, 23 de Março de 2008

Agradecimento ao Dr. José Manuel Varela

O nosso grupo vem aqui agradecer ao Dr. José Manuel Varela, do Departamento de Arqueologia e História da Câmara Municipal de Matosinhos, pelo apoio prestado ao desenvolvimento do nosso projecto.

publicado por sprvmatosinhos às 20:07
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 20 de Março de 2008

Fotos do actual estado do edificio da antiga Real Vinícola

publicado por sprvmatosinhos às 21:27
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 29 de Fevereiro de 2008

Tecnoteca na Real Vinícola!!!

      Depois da entrevista ao Sr. Director Municipal do Urbanismo da Câmara Municipal de Matosinhos, decidimos incorporar a nossa ideia de Tecnoteca no antigo edifício da Real Vinicola. Esta escolha deve-se ao facto de este edifício pertencer á Câmara Municipal de Matosinhos, de estar localizada numa zona de grande densidade populacional (mesmo no centro da cidade), fácil acesso e devido á existência de diversos transportes públicos; todas estas razões fazem deste local o mais apropriado para a Tecnoteca.

publicado por sprvmatosinhos às 18:11
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2008

Entrevista ao Director Municipal do Departamento de Urbanismo

SPRV- Os edifícios que fotografámos são propriedade do estado ou propriedade privada?
Arquitecto Luís Miranda, Director Municipal do departamento de urbanismo - Os edifícios são propriedade privada, empresas que abriram falência e cujos bens estão penhorados pelos credores. Nenhuns destes edifícios são propriedade do estado. O único deste género que é propriedade do estado é o da Real Vinícola.
SPRV- Existe algum projecto neste momento para esse edifício?
ALM - Não neste momento não existe nenhum projecto para o edifício da Real Vinícola.
SPRV- O que acha da nossa proposta da Tecnoteca?
ALM - Um edifício como o vosso é um edifício óptimo, não só a nível sociológico, mais também do ponto de vista da resposta às necessidades das pessoas. Terão de pensar muito bem na localização desse edifício para potenciar a sua utilização. Tem de estar bem localizado numa zona de densidade populacional. Tem de estar próximo de transportes públicos. À partida é uma aposta ganha.
SPRV- Existe na cidade/ conselho de Matosinhos algum centro tecnológico ou de investigação?
ALM - Com dimensão relevante não.
SPRV- Concordaria se a nossa proposta fosse na Real Vinícola?
ALM - Sim completamente, é um local excelente, pois tem muito espaço interior.
publicado por sprvmatosinhos às 21:14
link do post | comentar | favorito

.Contacto

Enviem-nos críticas e sugestões! Escrevam para: sprvmatosinhos@sapo.pt

.tags

. todas as tags

.links

.arquivos

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.Visitas